Header AD

Carros e seus donos: Fiat 147 de gerações




Olá apaixonados por motores, hoje vamos falar sobre Jorge Pinho, dono de um Fiat 147 e administrador do grupo "Eu tenho um 147".
Jorge começou nos contando que seu envolvimento com carros começou pelo avô, que na época já possuía um Fiat Uno e tudo começou quando seu pai, em meados de 1992, estava juntando dinheiro para comprar um corcel 1 GT. Mas quando foi fazer a compra o mesmo já havia sido vendido. Então ele encontrou um Fiat 147 GL 981, que por coincidência, era o mesmo ano em que Jorge nasceu.
Com o passar do tempo o carro começou a dar problemas, e na época era difícil achar mecânicos que soubessem lidar com a mecânica desse veículo. Na época seu pai recebeu muitas críticas negativas sobre o Fiat 147, porém isso não lhe importava muito. O veículo acabou virando o xodó da família, sendo apelidado de "Casquinha de ovo" por sua cor ser parecida com a de uma casca de ovo.
Em um dia durante um passeio aconteceu um acidente onde a lateral do automóvel foi danificada. Isso gerou uma grande dor de cabeça para a família, pois foi necessário realinha-lo todo. Porém passado algum tempo outro acidente aconteceu, mas dessa vez o carro ficou completamente destruído e o pai de Jorge não possuia dinheiro para fazer a reforma do veículo e precisou se desfazer do mesmo.
Jorge nos contou que sua família ficou totalmente desolada com essa situação, pois foi muito difícil para eles se desfazer o querido “Casquinha de ovo”.
Algum tempo depois o avô do nosso entrevistado acabou encontrando outro Fiat 147, mas esse era um modelo do ano de 1986. Um carro de frota, que na época era propriedade de uma empresa de telefonia. Jorge comentou conosco: "Toda vez que eu encerava o carro, aparecia cada vez mais o simbolo da empresa de telefonia!"
Com isso essa paixão começou novamente. Ele já se interessava a querer mexer nesse novo carro, mas seu pai ainda com trauma do acidente que havia ocorrido, acabou deixando o 147 um pouco de lado e reclamava bastante dele.

Com o carro encostado pelo seu pai, nosso entrevistado acabou o comprando e  foi arrumando, deixando ele cada vez mais interessante.  Seu pai mesmo após ter feito a venda,  queria muito vender o carro para comprar um novo, mas jorge se negava a vender. Isso causou muitas brigas entre os dois, pois ele havia deixado o carro totalmente arrumado. Com o passar do tempo seu pai infelizmente faleceu e até para ir ao funeral, seu Fiat 147 quebrou.
Com diversas multas não pagas por excesso de velocidade o carro acabou sendo apreendido e então foi enviado a um desmanche.
Já sem o 147, Jorge acabou conhecendo outras pessoas que possuiam esse modelo de automóvel, o que o motivou a montar um clube na cidade onde ele morava. Com isso o clube era motivo de várias piadas e mesmo assim se manteve de pé. Passou 10 anos sem nenhum veículo, foi quando fizeram a doação de um Fiat Spazio para ele.
Após o Spazio vieram outros carros. Veio o “Luiggi”, um 147 Pick-Up, onde o dono vendeu exclusivamente para o jorge, pois sabia que ele não iria vender o carro de modo algum. Jorge não considera esse carro totalmente dele, pois quem ajudou a comprar foi Mirian, sua ex-esposa.
Jorge começou do zero, fazendo vídeos, dando dicas de manutenção de 147 e hoje é um dos maiores nomes no meio automotivo, faz parte do comitê organizador do encontro nacional do 147, junto com a Mirian, ex-esposa e amiga.


Carros e seus donos: Fiat 147 de gerações Carros e seus donos: Fiat 147 de gerações Reviewed by Sandy on 14:50 Rating: 5

Post AD